fechar popup contact

MARQUE UMA CONSULTA

Clínica de Especialidades Pediátricas em parceria com clinica do lago

Como combater obesidade infantil?

Como combater obesidade infantil?
26 Novembro, 2018

Como combater obesidade infantil?
Saiba não só como se procede uma avaliação clínica da criança ou adolescente obeso, mas também, como pode ajudar o seu filho a manter um peso saudável.

Desde o início do século XXI tem-se observado o desenvolvimento de uma epidemia global de obesidade infantil em muitos países.

As estimativas do número de bebês e crianças com excesso de peso na Região Europeia da OMS aumentaram de forma constante.

Mais de 60% das crianças com excesso de peso antes da puberdade estarão acima do peso no início da vida adulta.

Segundo o relatório da Childhood Obesity Surveillance Iniciative (COSI) da Organização mundial de saúde, entre 2015 e 2017 em Portugal cerca de 30% das crianças entre os 6 e os 9 anos tinham excesso de peso ou eram obesas.
Aceda ao documento completo aqui.

Em termos de prevalência de excesso de peso e obesidade em adolescentes portugueses, até 37% dos rapazes e 25% das raparigas de 11 anos apresentaram excesso de peso, segundo dados do estudo Health Behaviour in School-aged Children (HBSC) (2009/2010).

Para os jovens de 13 anos de idade, os números correspondentes foram de 31% para rapazes e 18% para raparigas, e entre 15 anos de idade, 24% e 17%, respetivamente.
Aceda ao documento completo aqui.

Ainda segundo dados de um outro estudo – Adolescent obesity and related behaviours: trends and inequalities in the WHO European Region –  (2002–2014), Portugal surge mesmo como um dos cinco países com maior percentagem de adolescentes obesos, entre os 27 países estudados.

A obesidade infantil está relacionada com importantes mudanças ambientais ocorridas nas últimas duas décadas, com estilos de vida mais sedentários e fácil acesso a alimentação pouco saudável.

A obesidade infantil está fortemente associada a fatores de risco para doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, problemas ortopédicos, transtornos mentais, baixo rendimento escolar e baixa autoestima.

 

Crianças e jovens com obesidade frequentemente apresentam morbilidade psicológica e outras patologias associadas à doença, bem como um risco aumentado de morte prematura por doença cardiovascular.

No entanto, nunca é tarde demais para melhorar a saúde!

 

Muitos problemas, como colesterol alto e tensão elevada, fígado gordo e até diabetes tipo 2 podem ser revertidos.

Com a monitorização cuidadosa das mudanças de altura e peso, muitos problemas relacionados como excesso de peso podem ser identificados com antecedência suficiente para evitar a progressão para problemas de saúde mais graves e crónicos.

 

Rastreio de Nutrição


Avaliação clínica da criança ou adolescente obeso

 

Na avaliação clínica de crianças e adolescentes obesos é feita uma história clínica completa e um exame físico.

A altura e o peso são medidos e o índice de massa corporal calculado.
Como o IMC normalmente varia ao longo da infância, ele deve ser comparado com gráficos de IMC baseados na idade. A circunferência da cintura também é usada.

Usando o gráfico de crescimento, o percentil é calculado, comparando com outras crianças do mesmo sexo e idade.
Por exemplo, se estivermos com percentil 80, isso significa que, em comparação com outras crianças do mesmo sexo e idade, 80% têm um peso ou IMC menor.

Pontos de corte nesses gráficos de crescimento, estabelecidos pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, ajudam a identificar crianças com excesso de peso e obesas:

  • IMC entre percentis 85 e 94 – excesso de peso
  • IMC 95 percentil ou acima – obesidade

Como o IMC não considera coisas como ser musculado ou ter uma estrutura corporal maior que a média e porque os padrões de crescimento variam muito entre as crianças, o nutricionista também avalia a influência do crescimento e desenvolvimento da criança.
Isso ajuda a determinar se o peso é um problema de saúde.

Além do IMC e do peso dos gráficos nas tabelas de crescimento, o nutricionista avalia:

  • História familiar de obesidade e problemas de saúde relacionados ao peso, como diabetes
  • Hábitos alimentares
  • Nível de atividade
  • Outras condições de saúde
  • Histórico psicossocial, incluindo incidências de depressão e distúrbios do sono

Exames de sangue

O nutricionista pode pedir exames de sangue. Esses testes podem incluir:

  • Um teste de colesterol
  • Um teste de açúcar no sangue
  • Outros exames de sangue para verificar desequilíbrios hormonais, deficiência de vitamina D ou outras condições associadas à obesidade

Objetivos terapêuticos

 

O sucesso do tratamento da obesidade infantil – Resultados relacionados com o peso, mas também resultados não relacionados com o peso, como:

  • Melhoria na auto-estima
  • Mais comportamentos de estilo de vida saudável para toda a família
  • Melhoria das doenças associadas à obesidade
  • Perceção pelos pais e pelo paciente de que a mudança de comportamento a longo prazo é necessária
  • Manutenção do peso ou perda de peso, ou, na criança ainda em crescimento, uma diminuição na taxa de ganho de peso
  • Diminuição da circunferência da cintura.

Objetivos de perda de peso geralmente não são definidos quando se lida com obesidade na infância.
Uma criança mais nova pode “crescer” até ter um peso adequado ajustado para a altura.

O objetivo principal deve ser a mudança comportamental.

 


Tratamento

 

O tratamento para a obesidade infantil é baseado na idade do paciente e se ele ou ela tiver outras condições médicas.

O tratamento geralmente inclui mudanças nos hábitos alimentares e no nível de atividade física.

 

A Academia Americana de Pediatria recomenda que crianças com mais de 2 anos e adolescentes cujo peso caia na categoria de excesso de peso sejam colocados em um programa de manutenção de peso para retardar o progresso do ganho de peso.
Essa estratégia permite que a criança adicione cm em altura, mas não em Kg, fazendo com que o IMC caia com o tempo para níveis mais saudáveis.

O tratamento da obesidade infantil eficaz deve envolver:

  • Abordagem focada na família, especialmente com pacientes pré-adolescentes
  • Metas pequenas e viáveis para mudança de comportamento
  • Priorizar o comportamento sedentário
  • Ajudar famílias e jovens a fazer escolhas alimentares mais saudáveis
  • Fornecer apoio contínuo à medida que as famílias e os jovens fazem mudanças sustentáveis no estilo de vida.

Dependendo das necessidades do paciente, uma equipe multidisciplinar composta por um nutricionista, um profissional de saúde mental e um especialista em exercícios pode ser utilizada para desenvolver um plano de tratamento específico que possa incluir:

  • Aconselhamento nutricional e modificação da qualidade da dieta e conteúdo calórico
  • Aumento da atividade física
  • Modificação do comportamento para abordar a auto-estima e as atitudes sobre alimentos
  • Terapia individual ou de grupo focada na mudança de comportamentos
  • Aconselhamento familiar para ajudar a apoiar as mudanças na casa

 


Você também pode ajudar seu filho a manter um peso saudável.

 

Confira as seguintes dicas:

  • Proteger o ambiente doméstico: ter em casa apenas alimentos saudáveis, para que o seu filho não seja tentado a comer os alimentos não saudáveis.
  • Os pais que comem uma dieta saudável e mantêm um estilo de vida ativo serão um exemplo positivo para seu filho
  • Servir água em vez de bebidas açucaradas
  • Oferecer porções adequadas à idade e manter os recipientes de comida fora da mesa para evitar excessos
  • Limitar o tempo de ecrãs a duas horas por dia (TV, computador e videogames)
  • Não usar comida como recompensa por bom comportamento, desempenho académico ou ingestão de alimentos saudáveis

 



Clínica Kids&Teens Promove Rastreio de Nutrição Mensal

Ficamos à espera que traga o seu filho para uma avaliação nutricional.
Tem como única condição a marcação prévia.

Saiba mais sobre a Especialidade de Nutrição Infantil.


A equipa Kids and Teens

Subscreve

Coloque em baixo o seu email para receber notícias sobre a Kids & Teens – Clínica do Lago