fechar popup contact

MARQUE UMA CONSULTA

Kids and Teens - Clínica de Especialidades Pediátricas

Depressão na infância e adolescência

Depressão na infância e adolescência
5 Março, 2022

A depressão na infância ou adolescência poderá ser uma experiência bastante penosa não só para quem sofre da patologia, mas também para todos os restantes membros da família, principalmente os pais. 

Vivemos numa época diferente, as nossas crianças e jovens passaram dois anos em casa, com receios, incertezas, com pais preocupados, e em que a casa foi local de estudo e de trabalho, trazendo em algumas famílias uma aproximação, mas noutras o aumento de conflitos. 

O período de encerramento das escolas significou novas barreiras ao desenvolvimento social, psicológico e educativo, das crianças e jovens, agravando situações de desigualdade já existentes e colocando em causa dimensões fundamentais da sua vida (como a quebra de rotinas, brincadeiras e contactos sociais);

O impacto da COVID-19 no bem-estar e na saúde mental não é totalmente conhecido, no entanto são já diversos os estudos desenvolvidos de forma a permitir o desenvolvimento de estratégias preventivas.

Grande parte dos estudos indicam que para além do impacto que a COVID-19 na saúde física é importante estar atento à saúde mental, especialmente ao stress, sintomas de ansiedade e de depressão.

É evidente, na nossa prática clinica, um aumento significativo de crianças e jovens com sintomas depressivos. Há que ter em conta que sendo a mesma patologia, cada criança ou adolescente vivencia os sintomas de forma diferente tendo um impacto diferenciado para cada um. Este é um dos fatores que se deverá ter em conta na realização de diagnóstico e respetiva intervenção.

Surgem sinais de alerta que os pais e professores deverão estar atentos:

  • Humor depressivo
  • Perda de interesse ou prazer em atividades que antes gostava
  • Perda ou aumento de peso
  • Lentidão ou agitação motora
  • Fadiga e falta de energia
  • Sentimentos de culpa ou desvalorização
  • Dificuldades em concentrar-se
  • Pensamento de morte recorrentes

Nas crianças mais novas a existência de birras frequentes poderá ser um sinal de alerta.

A ter em conta, e pelo facto de existirem diversas perturbações de humor, a existência dos sintomas seguintes poderá significar a existência de uma Perturbação de Desregulação de Humor Disruptivo:

  • explosões (“birras”, falta de controlo da raiva ou frustração) temperamentais graves e recorrentes. Estas explosões podem ser verbais e/ ou comportamentais, e desproporcionadas em intensidade ou duração
  • explosões temperamentais são inconsistentes com o nível de desenvolvimento
  • explosões temperamentais ocorrem em média 3 ou mais vezes por semana
  • o humor entre as explosões temperamentais é persistentemente irritável/zangado, durante a maior parte do dia, quase todos os dias

Estes sintomas deverão estar presentes em 2 de 3 contextos em que a criança esteja inserida; sintomas presentes em 12 ou mais meses; inicio dos sintomas entre os 6 e 10 anos e nunca depois dos 18 anos.

Uma sinalização rápida da sintomatologia significa uma mais rápida e eficaz intervenção, que deverá implicar todos os agentes educativos, com especial atenção os pais, de forma a ajudá-los a lidar da melhor forma com a situação. Por vezes, torna-se necessária uma terapêutica farmacológica em complemento com uma intervenção psicológica.  

Dra Inês Camacho

 

Drª Inês Camacho, psicóloga Clínica e Educacional da kids and Teens.


Kids and Teens – Clínica de especialidades pediátricas, Lisboa

 

Saiba mais…

> Conversar sobre a guerra com crianças

> Vacina COVID-19 em crianças dos 5 aos 11 anos

> Aparelho ortodôntico, como funciona o tratamento?

> A Higiene oral da criança

 

 

Partilha

Subscreve

Coloque em baixo o seu email para receber notícias sobre a Kids & Teens